AcidentezDestaque

Avião cai em Maringá – Aeronave participava de acrobacia em feira aeronáutica – Piloto morre

whatsapp-image-2016-09-24-at-17-48-40 queda de aviãoqueda de avião Maringá acrobacia

Um avião que fazia show de acrobacia na EAB 2016, no Aeroporto Regional Silvio Name Junior, agora à tarde, em Maringá, caiu durante a exibição.
O acidente foi por volta das 17h15 deste sábado (24). O avião caiu fora da área do aeroporto. O piloto foi identificado apenas como Teo, e a princípio não teria conseguido ejetar-se antes da colisão.

Luiz Carlos Basson Del’Aglio, com mais de 19 mil horas como piloto agrícola
Luiz Carlos Basson Del’Aglio, com mais de 19 mil horas como piloto agrícola

 

Atualizado: A confirmação do nome do piloto é Luiz Carlos Basson Dell’Aglio, 62 anos, morador na cidade de Ponta Grossa no Paraná, ele era proprietário da empresa AGROVEL, Agro Aérea Vila Velha Ltda, sediada no estado de Santa Catarina.

 

 

whatsapp-image-2016-09-24-at-17-42-17 whatsapp-image-2016-09-24-at-17-46-22

A aeronave caiu de bico em uma plantação próxima ao aeroporto de Maringá.O Extra 230 PT-ZUN foi comprado em 1998, com aproximadamente 700 horas.
Segundo a organização, foi o primeiro acidente ocorrido na feira, promovida há 19 anos, há três em Maringá. (inf Angelo Rigon/foto Lucas Fardin/Maicon Rodrigo)

 

 

 

 

 

 

Salvar

Mostrar mais

redação

contato (44) 99803-1491 agnaldorvieira@gmail.com

Notícias Relacionadas

5 Comentários

  1. Lamentável. O pior é a pessoa que está filmando queda, que fala:” Podia cair.”, acho que essa pessoa não tem noção do que é ver uma pessoa perder vida dessa maneira trágica.

  2. Ele não caiu só porque a garota disse isso…claro né !
    Pela forma como o avião desceu mais parece ter sido
    uma pane nos comandos ou um mal subido no piloto;
    Isso quem vai descobrir são os peritos…

  3. Não se sabe se mais esse acidente com aeronaves experimentais será investigado pois raramente o CENIPA investiga acidentes com esse tipo de aeronave, não se sabe porque.
    O que se sabe, e vem sendo denunciado, é que essas aeronaves indevidamente enquadradas pela ANAC como “experimentais”, só no Brasil vêm sendo fabricadas ilegalmente em série e entregues prontas ao consumidor com uma placa:
    “VOO POR CONTA E RISCO PRÓPRIO”
    Aeronaves experimentais caem e matam semanalmente e ninguém fica sabendo porque nem a ANAC nem o CENIPA investigam, nem sequer registram e divulgam.
    Augusto Fonseca da Costa
    Presidente da ABRAVAGEX
    Membro do Conselho Consultivo da ANAC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de Anúncios Detectado

Por favor, desative seu bloqueador de anúncios para continuar. Obrigado.