Sem rumo

Imprimir

PHSO Partido Humanista da Solidariedade, diretório de Maringá, se reuniu no domingo no escritório político da vice-governadora Cida Borghetti (sem partido) para confirmar apoio a pré-candidatura do atual secretário de planejamento do Governo Beto Richa (PSDB), Silvio Barros (sem partido) a prefeitura de Maringá.
Após a tomada do partido pelo deputado federal Diego Garcia, das mãos do secretário municipal de desenvolvimento Valter Viana, o assessor parlamentar do deputado Ricardo Barros (PP), Vagner Mússio, que é o atual presidente do diretório municipal do PHS, tenta segurar a todo custo o esvaziamento dos membros filiados.
Mússio alega ter mais de 700 filiados ao partido, e que tanto o presidente estadual e nacional deram total apoio à ele, mas nenhum dos dois estiveram no encontro que reuniu pouco mais de 50 pessoas.
Entre os pré candidatos a vereador estiveram presentes a repórter Silvia Letícia do programa Pinga Fogo na TV, além do secretário de esportes, Francisco Favoto (DEM) e João Carvalho Pinto (PSDB), coordenador da Região Metropolitana de Maringá, entre outras lideranças municipais.
Com a tendência de apoio do deputado e presidente estadual do PHS, Diego Garcia, a candidatura à prefeito de Ulisses Maia (PDT), a insatisfação do grupo político ligado ao deputado Ricardo Barros é muito grande, segundo alguns pré-candidatos que não participaram do encontro houve muita promessa e nada se fez, com isso muitos estão se filiando em outros partidos. Aliado a mais esse problema, a indefinição do partido que irá acolher Silvio Barros, afugenta os membros que cada vez mais acreditam na impugnação da candidatura de Silvio, devido as várias ações que têm na Justiça, algumas inclusive transitada e julgada em segunda instância .