Unica mulher vereadora vota contra abertura de processo de ameaça de vereador à ex-esposa

Imprimir

marcia socreppa

Por 9 votos contrários os vereadores rejeitaram o pedido de abertura de comissão processante contra o vereador Luizinho Gari (sem partido) por falta de decoro parlamentar. O vereador está detido pelo descumprimento de ordem judicial, após retornar com ameaças a sua ex-mulher desde a última quinta-feira.
Votaram favoráveis ao pedido na sessão desta terça-feira na Câmara de Maringá, Ulisses Maia (PDT), Humberto Henrique (PT), Mário Verri (PT) e Flávio Vicente (REDE). O que mais causou estranheza foi o voto contrário da única mulher vereadora da Casa Legislativa, Márcia Socreppa, que pertence ao PMB, Partido da Mulher Brasileira .
Ela até tentou se esquivar da pergunta do repórter da Rede Massa, William Souza, Socreppa respondeu apenas que a Justiça é quem deve julgar o caso. A nobre vereadora como os demais que votaram contra, talvez não tenham muito conhecimento do rito processual, era apenas um pedido de abertura para que o Legislativo Municipal investigasse o caso que envolve Luizinho no caso da Lei Maria da Penha.

Última atualização ( Qua, 30 de Março de 2016 01:27 )