Empresário falsifica documentos dos concorrentes para ganhar licitação no Paraná

Imprimir

O Ministério Público do Paraná (MP-PR), por meio do núcleo regional de Maringá do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), ofereceu, na última segunda-feira (25), denúncia contra quatro pessoas por crimes de falsificação de documentos e fraude à licitação aberta pela prefeitura de Loanda.
Dentre os acusados na denúncia apresentada à Vara Criminal de Loanda, estão um empresário do ramo de eletricidade e três funcionários de sua empresa. Segundo as investigações do Gaeco, durante o processo licitatório, além do orçamento verdadeiro (da empresa cujo proprietário é um dos acusados), os denunciados apresentaram dois outros falsos. O certame visava à aquisição de materiais elétricos e de iluminação.
Nos documentos, o grupo imitou logotipo, timbre, cabeçalho, carimbo e outros dados de empresas reais, assinando os papéis com dados pessoais falsos de dois dos acusados, que se apresentaram como representantes legais daquelas organizações. Conforme destaca o texto da denúncia, o objetivo das falsificações foi "criar direito, gerar obrigação e alterar a veracidade sobre fato juridicamente relevante, cujos documentos falsos foram utilizados no referido processo licitatório e produziram efeitos jurídicos, tudo isso em prol dos interesses econômicos do patrão e codenunciado".
Com isso, a empresa venceu a licitação, mas, devido às investigações do MP-PR, o certame foi anulado pela Administração Municipal. (inf Bonde.com.br)