Mulher continua refém do ex-marido

Imprimir

Uma mulher é mantida refém pelo ex-marido há mais de 17 horas em Paranavaí. Por volta das 10h desta quarta-feira (28), os dois estavam em uma residência no bairro São Jorge, o maior da cidade. De acordo com a Polícia Militar, o homem estava armado e não permitia a aproximação de qualquer pessoa.
Segundo informações, cerca de 30 policiais estão no local, incluindo membros do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Curitiba, especialistas em negociações deste tipo. Todos os contatos com o sequestrador estão sendo feitos por telefone.
O ex-marido não teria pedido resgate e reclamaria apenas para ver a filha de 3 anos, que não foi feita refém. Durante a madrugada, ele exigiu a presença de um advogado, que foi chamado ao local. O homem chegou a liberar a ex-mulher, mas ela teria preferido não deixar a casa. Policiais informaram que como o sequestrador está num quadro de depressão profunda, a ex-mulher temia que ao deixar o local ele tentasse algo contra a própria vida. Os dois foram casados por 2 anos e meio e se separaram há três meses. A filha do casal está coma irmã da vítima.  A informação é de que os dois trabalham em uma avícola afastada do centro da cidade. Por volta das 16 horas de terça-feira (27), a vítima entrou no ônibus da empresa para retornar para casa, quando o ex-marido a rendeu. Ele teria ameaçado o motorista com um revólver, obrigando-o a dirigir até o bairro São Jorge, onde a mulher mora. Aparentemente, ninguém ficou ferido durante a abordagem no ônibus. (inf Gazeta Maringá - foto Pedro Artur)
A aglomeração de curiosos no local é grande, e a imprensa de toda a região cobre o fato desde o início da noite de ontem.