BalãoGate Organizador do campeonato de balonismo cobrava 4 mil Reais de pilotos

Imprimir

Esta é uma denuncia feita por um piloto de balão do estado de São Paulo em que o site Manchete teve acesso com exclusividade

O campeonato Sul-Brasileiro de Balonismo realizado no ultimo fim de semana em Maringá, teve pouca divulgação e participação de publico e pilotos, estes principalmente por que eram obrigados a participarem somente se pagassem R$ 4.000,00 ao organizador do evento. Caso o piloto já tivesse patrocínio estampado em seu balão, teria que pagar o valor, sem direito nenhum a ajuda de custo com combustível, hospedagem ou alimentação.
O piloto paulistano, que pediu para que não divulgássemos o seu nome, confirma ainda que quem não tivesse patrocinador nos equipamentos, o organizador maringaense vendia o patrocínio para empresas locais a um custo entre 10 a 14 mil Reais, sem repasse ao piloto, que arcaria com todas as despesas.
O evento contou com repasse de verba publica autorizado por 10 vereadores de R$ 80,000,00, antes da votação do projeto de Lei da Prefeitura de Maringá, o vereador Mario Verri (PT) alertou os demais vereadores de que o evento estava cercado de irregularidades, principalmente na titularidade da empresa promotora.
Diante das duvidas levantadas, até mesmo a emissora RPC TV, que dava apoio ao evento, diminuiu sensivelmente a divulgação em seus telejornais .
Mário Verri protocolou na sessão legislativa desta terça-feira(29), requerimento para que os organizadores e a Prefeitura detalhem todos os gastos dos 80 mil Reais e quanto foi arrecadado de alimentos, uma das promessas dos organizadores, que repassariam os alimentos à instituições de caridade da cidade.
Os questionamentos de Verri foram acatados pelo presidente da Câmara , vereador Ulisses Maia (SDD) que determinou que todos os eventos onde houver recurso financeiro municipal seja realizada prestação de conta e entregue ao Legislativo.
Nos corredores da Câmara, alguns vereadores se diziam já arrependidos pelo repasse. O evento que já contou com verba pública nos anos de 2006 e 2010 à 2013,  já soma a exorbitante quantia de R$ 439.140,11.

Última atualização ( Qua, 30 de Outubro de 2013 21:14 )