E agora prefeito?

Imprimir

manifestantes servidores maringá

 

A crise criada pela sua administração que culminou em uma greve dos servidores municipais de Maringá, o prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) se vê envolto por uma gestão marcada por mais erros do que acertos.
No segundo dia de greve, a adesão voluntária dos servidores chegou ao número de cinco mil pessoas, com a prospecção de a cada dia esse número aumentar.
Para dificultar o lado do prefeito, a população até agora apoia a paralisação.
Era bem mais fácil ter dado a reposição salarial de 11,08% no início das primeiras conversas com os servidores. (foto Eduardo)

Última atualização ( Qua, 30 de Março de 2016 16:39 )