Policial

Agressão contra estrangeiros em disk-cerveja de Maringá

Brutalidade

Dois angolanos, de 26 e 27 anos, foram agredidos e arrastados para fora de um comércio de bebidas localizado no Jardim Aclimação, em Maringá. Imagens filmadas de um celular circularam nas redes sociais nesta semana . A situação ocorreu no último sábado (7), e o boletim de ocorrência junto à Polícia Civil foi registrado nessa segunda-feira (9).
De acordo com o advogado das vítimas, Mário Alberton, seis ou sete pessoas agrediram os angolanos, sendo que ao menos dois eram funcionários do local.
A defesa explicou que os estrangeiros deixaram cinco cervejas pagas no estabelecimento e estavam consumindo nas proximidades, retirando uma garrafa de cada vez. Quando foram buscar a quarta cerveja, o segurança do comércio impediu uma das vítimas de entrar no local e, quando retornaram para pegar a quinta, foram agredidos sem motivo aparente.
“O segurança do local chamou os estrangeiros de ‘folgados’ e partiu para vias de fato, o que culminou nas agressões que vimos no vídeo. Naquela confusão não sabemos o que aconteceu, porque eles foram espancados, com chutes, socos e ‘mata-leão’, e arrastados desacordados”, detalha Alberton.

Quando recobraram a consciência, os estrangeiros pediram um carro por aplicativo e foram para casa. Um deles, que estava com agressões mais visíveis, ligou para o Samu e foi levado para o Hospital Universitário (HU), onde ficou internado até a manhã de domingo (8).
Segundo o advogado, três amigos e as duas vítimas foram até o comércio de bebidas no domingo, dia 8, para obter informações sobre o ocorrido, e novas agressões ocorreram.
“Quando eles chegaram lá foram atendidos por uma das pessoas que também participou ativamente das agressões e pediram para falar com o gerente, mas por conta da demora, desistiram e chamaram um Uber para ir embora. Foi quando um ex-PM foi apresentado como gerente e já foi para cima deles, com socos e ofensas como: ‘preto’ e ‘volte para sua terra’. Eles foram embora no Uber e esse ex-PM ainda os seguiu e a Polícia Militar foi acionada”, relata Mário Alberton.

O presidente da Associação dos Estrangeiros Residentes na Região Metropolitana de Maringá (Aerm), Ronelson Furtado, acompanhou as vítimas à delegacia e tem prestado todo o suporte.
“Levamos eles para a delegacia ontem [dia 9] para registrar o boletim de ocorrência, hoje fomos no IML para fazer exame de corpo de delito, amanhã vamos conversar com delegado de novo. Também queremos envolver o Conselho de Igualdade Racial, porque foi uma situação de racismo. Vamos procurar todos os órgãos possíveis para que o caso tenha um encaminhamento adequado e daremos o suporte psicológico às vítimas”, frisa.
O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Maringá. (inf GMC OnLine)

Mostrar mais

Notícias Relacionadas

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de Anúncios Detectado

Por favor, desative seu bloqueador de anúncios para continuar. Obrigado.