Justiça

Vereadora de Maringá é condenada após video publicado

Ainda cabe recurso para à defesa

A vereadora Cris Lauer (PSC), em julho do ano passado, contrariando o site do Projudi (Processo Eletrônico do Judiciário do Paraná), dizia ter “zero processo”. Fez a campanha ofendendo várias pessoas, elegeu-se e antes de 2020 terminar foi condenada por injúria contra a servidora Daiany de Fatima Corbetta, pelo juiz Abílio de Freitas, do 4º Juizado Especial Cível de Maringá (leia mais).

Este é um dos pelo menos sete processos que foram ajuizados contra ela, inclusive entre eles um ex-simpatizante da empresária, que não declarou sua empresa ao fazer o registro da candidatura. Todos os processos são por danos morais, incluindo o secretário municipal do Meio Ambiente e Bem-Estar Animal, Marco Antonio Azevedo. O principal deles é de conglomerado de saúde, contra o qual ela assacou inverdades.

Em alguns processos a hoje vereadora não se manifestou; verifica-se também a dificuldade em encontrá-la para intimação, no que parece ser uma tática. No caso de Daiany Corbetta, a tática não deu certo, pois a condenação foi à revelia. A situação deve mudar para os oficiais de justiça quando forem iniciadas as sessões ordinárias da Câmara de Maringá, realizadas às terças e quintas-feiras, e das quais ela deverá participar. “Ela já pode pedir música no Fantástico duas vezes”, disse um brincalhão colega de Câmara. (inf Maringá News)

Mostrar mais

Notícias Relacionadas

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de Anúncios Detectado

Por favor, desative seu bloqueador de anúncios para continuar. Obrigado.