Aeroporto de Cumbica define estratégias para combater o coronavírus após reunião com a Anvisa

Agência Nacional de Vigilância Sanitária disse que não há motivo para pânico e que durante o encontro foram reforçadas instruções sobre como agir em caso de suspeita de doenças contagiosas. Anvisa orienta empresas e órgãos públicos sobre novo coronavírus no Aeroporto de Guarulhos
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) organizou na manhã desta sexta-feira (24) uma reunião para definir as orientações que serão aplicadas no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, para combater o coronavírus, doença que já atingiu mais de 900 pessoas em todo o mundo.
China constrói hospital de 1 mil leitos como parte do esforço do país contra o novo coronavírus.
O encontro durou duas horas e reuniu representantes da Anvisa, das companhias aéreas, das empresas que fazem limpeza e desinfecção no Aeroporto de Cumbica e ainda representantes de órgãos federais como, por exemplo, a Polícia Federal.
De acordo com a agência, não há motivo para pânico. Durante a reunião foram reforçados protocolos já existentes no Brasil que apresentam instruções sobre como agir em caso de suspeita de doenças contagiosas.
“O objetivo da reunião foi justamente esse, intensificar os fluxos de comunicação, relembrar a comunidade aeroportuária do plano de contingência para que, caso a gente tenha algum caso no futuro, ou qualquer outra doença que apareça, a gente tenha uma resposta oportuna e adequada sem causar pânico a ninguém”, disse Elisa Boccia, Chefe do posto da Anvisa no Aeroporto de Cumbica.
Panorama do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos
Sidnei Barros/Prefeitura de Guarulhos
A partir da tarde desta sexta (24) serão veiculados no Aeroporto de Cumbica avisos sonoros alertando sobre como as pessoas poderão prevenir a doença e quais são os sintomas. A desinfecção e a limpeza de aeronaves, assim como o uso de máscaras e equipamentos de proteção por funcionários, será feita apenas em casos suspeitos.
A Secretaria Estadual de Saúde diz que integrou vários hospitais, institutos de pesquisa e Secretarias Municipais de Saúde para monitorar o coronavírus e saber como agir em casos suspeitos. O Ministério da saúde disse que não há nenhum caso suspeito no Brasil.
Ciclo do novo coronavírus – transmissão e sintomas
Aparecido Gonçalves/Arte G1
Países infectados
Ao menos nove países tiveram casos confirmados de infecção por coronavírus. Na quinta-feira (23), Vietnã, Singapura e a Arábia Saudita registraram casos da doença que atingiu mais de 600 pessoas na China e deixou 18 mortos.
O ministro da Saúde vietnamita disse na quinta que dois turistas chineses foram diagnosticados com coronavírus enquanto viajavam pelo país do sudeste asiático. Em Singapura, o governo confirmou o primeiro caso da doença no país.
Dispersão do novo coronavírus pelo mundo
Rodrigo Sanches/Arte G1
Na Arábia Saudita, uma enfermeira de origem indiana foi infectada pelo vírus. Ela estava em observação desde quarta-feira (22), mas nesta quinta o ministro de Relações Exteriores da Índia, Vellamvelly Muraleedharan, confirmou o caso em sua rede social.
Japão, Tailândia, Taiwan, Coreia do Sul e Estados Unidos também registraram ao menos um caso de infecção respiratória desde o início do surto. Há ainda casos suspeitos em Hong Kong, nas Filipinas, na Austrália e no Reino Unido.
Raio X do novo coronavírus
Amanda Paes e Cido Gonçalves/Arte G1
VÍDEOS
Surto de coronavírus: China confirma segunda morte fora do perímetro da doença
Coronavírus: infectologista explica o que é o vírus, sintomas e prevenção
Initial plugin text