Captação e reaproveitamento de água da chuva

0
234
Aliar consumo consciente com diminuição dos custos além de estar em alta, nunca foi tão vantajoso

Please enter banners and links.

O desenvolvimento e a aplicação de práticas que impliquem na busca pela sustentabilidade e que ao mesmo tempo, tenham custos reduzidos, tem ganhado destaque na situação atual brasileira, que passa por momento delicado na economia e por uma revolução de consciência em relação ao meio ambiente. Um exemplo desse tipo de prática é a captação e reaproveitamento da água da chuva.
Essa prática é realizada tanto para suplementar os recursos hídricos em regiões de seca ou em regiões mais pobres e periféricas, onde o acesso à água potável ainda é restrito, quanto para gerar uma economia considerável quando o assunto é o consumo de água, tanto em âmbito doméstico, como industrial, já que a água a ser reaproveitada é viável para inúmeras utilizações e pode significar até 70% de diferença na conta mensal.
O sistema de captação da água pluvial pode funcionar de diversas maneiras, das mais simples às mais elaboradas. Basicamente, a água é captada por calhas e direcionada ao filtro que irá separar os resíduos sólidos mais pesados, seguindo então para a cisterna de armazenamento, onde passará por um processo de tratamento com cloro e outras substâncias, se necessário. Então, a água já pronta para o consumo em determinadas atividades, segue direcionada por uma bomba à caixa d’água, de onde será distribuída.
Os usos dessa água são diversos: No ambiente doméstico pode ser utilizada na irrigação de jardins, limpeza de automóveis e áreas externas, lavagem de roupas, abastecimento de fontes e espelhos d’água e nas descargas dos vasos sanitários. Já no ambiente industrial, pode se utilizar na irrigação paisagística, irrigação de campos para cultivos, refrigeração industrial, alimentação de caldeiras, como água de processamento, recarga de aquíferos, combate ao fogo, etc.
Para a construção do sistema, é necessário primeiramente que haja o dimensionamento do mesmo, o qual leva em consideração fatores como a área de coleta, o clima, o cálculo de consumo e de reserva, entre outros vários. Com relação ao custo do projeto, este pode variar de acordo com sua complexidade, mas não alcança valores muito elevados. Além disso, o retorno do investimento torna rapidamente através da diminuição nas contas mensais. O projeto pode ficar ainda mais barato, e com isso, mais vantajoso, se for realizado com uma Empresa Junior como a CONSEQ, que estuda o desenvolvimento do projeto.

(CONSEQ – Empresa Junior de Engenharia Química da Universidade Estadual de Maringá)


Warning: A non-numeric value encountered in /home/maringamanchete/www/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 352