Ensaios fotográficos ajudam a elevar a autoestima feminina

0
81

Please enter banners and links.

Ângulo, Luz e cor proporcionam uma nova visão da beleza própria, desta forma, a fotografia atua com ferramenta no resgate da autoestima, garante a fotógrafa Julia Oliveira.

Se você tivesse que avaliar o seu amor próprio, que nota daria? A construção da autoestima é um processo que desempenha um papel enorme nas nossas vidas e está relacionada a como cada pessoa se sente em relação à segurança, motivação, vontade de viver e amar-se. Mulheres que possuem uma boa autoestima são capazes de transformar a maneira de ver as coisas: Ao invés de enxergar um problema, uma pessoa com a autoestima elevada vê oportunidades de melhorias e vontade de resolver os conflitos diários. No entanto, a realidade é que a maioria da mulheres sofrem com muitas questões quanto aos padrões estéticos impostos pela sociedade, atingindo diretamente a autoconfiança, e é aí que a fotografia entra em cena. 

A fotografia pode mostrar muito mais do que vemos. O ângulo, a luz e a cor podem contar histórias de um lugar e uma pessoa. Ela proporciona uma nova visão da nossa beleza”.  Pontua a fotografa Júlia Oliveira, especialista em retratos femininos. Dessa forma, a foto pode ser uma grande aliada no resgate da auto aceitação e amor próprio, servindo não só para registrar e guardar momentos especiais, mas também para trazer mais confiança.

Ainda de acordo com a fotografa, todos possuem uma beleza única e se não conseguimos ver isso, a fotografia pode servir de aliada. “Busco os mínimos detalhes, não apenas visual, mas também busco sempre entender a vibração da pessoa. Tento fazer com que cada uma das minhas modelos se sintam bonitas e que se desliguem daquilo que consideram defeitos e se vejam por uma nova perspectiva.” Comenta a profissional que também realiza ensaios sensuais femininos e vê de perto como a atividade pode ser positiva para as mulheres.

De todos os ensaios que já fez, Julia Oliveira recebeu feedbacks muito positivos e ainda se recorda dos comentários de uma das modelos sobre as fotos: “ Muitas vezes senti como se não fosse fotogênica ou bonita o suficiente para fazer um ensaio, mas depois que me dei a oportunidade senti minha autoestima sendo renovada. É uma experiência incrível se olhar e gostar do que se vê.”

E os ensaios funcionam realmente como um espelho. É possível trabalhar diferentes ângulos do próprio corpo que antes não eram explorados pela modelo. “ A realidade é que o processo de se amar tem que ser trabalhado todos os dias e esse processo de aceitação não é tão simples e nem é rápido, e nesse aspecto, a fotografia serve apenas como uma ferramenta, e não como uma solução definitiva” Finaliza Júlia.


Warning: A non-numeric value encountered in /home/maringamanchete/www/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 352