Cotidiano

Entidades estimam crescimento do turismo na BA com devotos de Santa Dulce, voos para o Chile e novo centro de convenções

Seguimentos devem aquecer o setor no estado. Sede do Memorial da primeira santa brasileira, Salvador é apontada com uma das que mais deve apresentar resultados. Movimento nas obras sociais de Irmã Dulce mais que dobra em Salvador
Empresas e entidades ligadas ao turismo na Bahia estimam o crescimento do setor no estado com acontecimentos recentemente divulgados. Entre eles, a canonização de Irmã Dulce, que ocorreu no último fim de semana e tornou a freira mais famosa da Bahia na primeira santa brasileira – Santa Dulce dos Pobres.
Saiba tudo sobre o Avança
A cerimônia foi realizada no Vaticano. Conduzida pelo Papa Francisco, a celebração contou com a presença de mais de 50 mil pessoas, incluindo muitos brasileiros, que viajaram para acompanhar de perto o evento. É nessa perspectiva do turismo religioso que se espera um fluxo maior no Santuário de Irmã Dulce, em Salvador.
Localizado no bairro de Roma, na Cidade Baixa, o local é muito visitado por devotos de Santa Dulce dos Pobres, pois, além de guardar a história da freira, também abriga os restos mortais dela. Recentemente, o local foi reformado por causa da santificação.
Devotos tiram foto ao lado de estátua de Irmã Dulce no memorial dedicado a ela, na Cidade Baixa, em Salvador
Alan Tiago Alves/ G1
“Nós pensamos é que talvez fique pequeno o Memorial de Irmã Dulce para acolher tantos peregrinos que certamente virão pela fé em Irmã Dulce”, disse Angela carvalho, da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) e do Conselho de Baiano de Turismo.
O turista religioso que chega à Cidade Baixa, especialmente por causa de Irmã Dulce, é um pouco diferente daquele que viaja para Salvador para curtir a cidade, como os foliões do carnaval. Ele viaja em grupo, família, e gasta um pouco menos com hospedagem. Em função disso, toda a rede de hotéis, pousadas e restaurantes dessa região precisa se transformar.
“Precisa de infraestrutura para aquela região: bares, lojas de souvenirs…”, ressalta Silvio Pessoa, presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação.
Missa de canonização de Irmã Dulce no Vaticano, em Roma
Maiana Belo/G1
Atualmente, 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) baiano é proveniente do turismo. Em Salvador, chega a 20%. Em destinos como Morro de São Paulo, Praia do Forte e Porto Seguro, o turismo é ainda mais importante – representa 80% da economia local.
“Viemos uma vez e voltamos pela terceira vez porque isso aqui é lindo”, contou a empresária e turista Claudia Quevera.
“A gente veio buscar praia, mar e a cidade é linda”, destacou a psicóloga Patricia Stuff.
Outro mercado em expansão no estado é o setor aéreo, que passará por mudanças no Aeroporto de Salvador. Especialistas esperam que a chegada de voos diretos ligando a capital baiana ao Chile facilite e intensifique o fluxo de turistas na cidade.
“Não só vão encurtar a distância como vão melhorar o preço. Essas empresas vêm com uma proposta de preços competitivos, quase metade do que é hoje”, disse a gerente de negócios aéreos Graziela Dellicato.
Aeroporto de Salvador
Divulgação
Essas empresas são atraídas pela redução no imposto sobre o combustível de aviação, e pelas novas regras que facilitam a operação de empresas estrangeiras no país. Atualmente, apenas 6% dos voos do aeroporto são internacionais.
“Quando a empresa decide vir para salvador, não ficamos contando só com o turista vindo pra cá, mas também mandamos gente pra fora, essa troca é o que sustenta o voo, é uma vantagem competitiva em relação a outras regiões do país”, Graziela Dellicato.
Com o fim das obras de ampliação, que se intensificaram depois de ser privatizado, o Aeroporto de Salvador vai quase dobrar a capacidade de passageiros: de 8 para 15 milhões.
A previsão de um novo aeroporto internacional em Porto Seguro, que fica no sul da Bahia e é segundo maior destino de turistas no estado depois de Salvador, deve também ampliar esse mercado.
“Quando tivermos aviões de fora vindo pra cá, ele vai se tornar um destino ainda maior”, disse Wilson Spagnol, presidente regional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA).
Projeto do Centro de Convenções Municipal em Salvador
Reprodução
Já a construção do novo Centro de Convenções na capital baiana deve trazer de volta a força do turismo de negócios, com capacidade para grandes eventos para mais de 8 mil pessoas. Um tipo de turismo que alimenta uma cadeia de novos visitantes.
“A pessoa que vem participar de uma convenção, ele vem e depois ele volta nas próximas feiras com a família”, disse Angela Carvalho.
Por fim, há também a aposta no setor do turismo náutico, aproveitando os mais de mil quilômetros da Baía de Todos-os-Santos, que é uma das mais importantes do estado.
“Nós temos uma baía fantástica, que é Baía de Todos-os-Santos, e estão sendo feitos investimentos em piers, atracações pra que possamos desenvolver o turismo náutico”, disse Angela.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Santuário de Santa Dulce dos Pobres durante a canonização dela
Alan Tiago/G1 BA
Mostrar mais

redação

contato (44) 99803-1491 agnaldorvieira@gmail.com

Notícias Relacionadas

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de Anúncios Detectado

Por favor, desative seu bloqueador de anúncios para continuar. Obrigado.