Léo Lins conta com o apoio do público para fazer show devido ao boicote da prefeitura de Taubaté

O teatro foi disponibilizado para o show, cumprindo mandado de segurança, mas a prefeitura se recusou a liberar os funcionários mesmo tendo sido paga pela produção do humorista
Após liberação judicial, neste fim de semana o humorista Léo Lins realizou um show em Taubaté, interior de São Paulo, para um teatro lotado de fãs que compraram ingresso para assistir ao seu show ‘Bullying Arte’, de stand-up comedy. No entanto, inusitadamente, não haviam funcionários no Teatro Metrópole e o próprio público precisou ajudar o humorista na realização e organização do espetáculo.

O show havia sido vetado pela gestão municipal depois da divulgação de um vídeo nas redes sociais de Léo Lins, em que o comediante ironiza fatos da cidade, citando nome de políticos como o prefeito Ortiz Jr. (PSDB). No entanto, a Vara da Fazenda de Taubaté liberou a realização do show de stand-up do comediante, alegando que a Prefeitura de Taubaté não apresentou motivos plausíveis para o cancelamento do show. O juiz Paulo Roberto da Silva, afirma que “eventuais responsabilidades por eventuais ofensas a pessoas físicas ou jurídicas poderão ser apuradas por quem entenda ter sido ofendido”.
No entanto, embora o Teatro Metrópole tenha sido aberto para que o humorista realizasse o seu show, nenhum funcionário apareceu para montagem de cenário, recepção e organização. No Instragram Stories, o humorista convocou a população, que atendeu o pedido e compareceu em massa. Ao final do espetáculo, Léo Lins gravou mensagens de provocação ao prefeito Ortiz Jr, e foi ovacionado pela platéia: “isto é para você ver que o povo não te respeita, prefeito”, disse.
Devido à situação inusitada, o humorista improvisou piadas durante o espetáculo ironizando o prefeito e a sua atitude de boicote. Do lado de fora do teatro havia uma escolta policial. No entanto, nenhum tumulto foi registrado.

Entenda o caso

No documento que estabelece o veto, divulgado pelo próprio comediante em sua conta no Instagram, a Prefeitura de Taubaté afirma que o vídeo de divulgação feito por Lins sobre a cidade “ofende e denigre a imagem e honra do Município de Taubaté, de algumas autoridades de nossa cidade e de nossa gente, numa afronta total aos mais básicos princípios de ética e respeito à pessoa humana”.
O humorista argumentou que a prefeitura pratica censura e que restringe o direito dos próprios cidadãos: “se há pessoas dispostas a comprar o ingresso e a vir de espontânea vontade ao teatro para assistir o show, é abusiva a proibição da prefeitura, que fere o direito de cada cidadão. É censura sim e um desrespeito não apenas à liberdade de expressão, mas aos cidadãos de Taubaté”.
O show Bullying Arte já sofreu censura em mais de 20 cidades, tendo shows cancelados por políticos e entidades contrárias a sua realização. No entanto, tem sido recorde de público na maioria das cidades por onde passa, tendo em algumas delas até a necessidade de se abrirem sessões extras.