Noiva que morreu a caminho do casamento sonhava em chegar de helicóptero

0
302

Please enter banners and links.

A auxiliar de enfermagem Rosemere Nascimento Silva, 32 anos, queria fazer uma surpresa ao noivo e futuro marido, o chaveiro Udirley Marques Damasceno, de 34. Ele não sabia que ela chegaria de helicóptero ao Sítio Recanto Beija-Flor, em São Lourenço da Serra, na Grande São Paulo, onde ocorreria o casamento dos dois. Rosemere morreu na tarde deste domingo após a aeronave cair. O acidente matou também o irmão dela, uma fotógrafa grávida e o piloto.

helicoptero
Ela e o irmão estavam muito animados, queriam que fosse uma surpresa para todos. Só eu e a mulher do irmão dela (que morreu no acidente) sabíamos que ela chegaria em um helicóptero”, contou Carlos Eduardo Baptista, dono do espaço onde ocorreria a festa.
O helicóptero caiu por volta das 16h – horário em que estava marcado o início da celebração. A festa seria para cerca de 300 convidados e todos esperavam pela noiva para o início da cerimônia. O casamento do casal, evangélico, seria celebrado por um pastor e validado por um juiz.
Baptista afirmou que já havia organizado a entrada dos padrinhos e madrinhas quando estranhou o atraso. “Trabalho com festas há mais de 30 anos e, quando as noivas decidem vir de helicóptero, são comuns alguns imprevistos, como atrasos ou cancelamentos por causa do tempo. Mas, desta vez, como atrasaram e ninguém da empresa (do helicóptero) me avisou, eu fiquei desesperado e liguei para a polícia, para os bombeiros,” contou.
O acidente aconteceu a cerca de cinco quilômetros do local do casamento. Baptista contou que, assim que foi confirmada a morte dos quatro passageiros, chamou o noivo e o pastor para comunicar o acidente.
Nunca imaginei que um dia daria uma notícia dessas durante um casamento. A família está sem chão. Todos esperavam um dia de alegria e tudo se transformou numa grande tragédia“, disse Baptista.

Choque
Os cerca de 40 funcionários que trabalhavam na festa disseram ter ficado muito chocados com o acidente, especialmente porque eram amigos da fotógrafa que morreu na queda. “Soubemos o que tinha acontecido minutos antes dos convidados. Ficamos muito chocados, foi uma comoção muito grande para nós também. Mas tivemos de nos acalmar logo para amparar os convidados”, contou Kevin Willy, 18 anos, que trabalha no local.
Ainda de acordo com os funcionários, a fotógrafa estava registrando todos os momentos de preparação da noiva, até mesmo o trajeto no helicóptero. Eles disseram ter esperanças de encontrar o equipamento fotográfico em boas condições para entender o que aconteceu.
A aeronave caiu no bairro Barrinha, uma área de chácaras, próximo à Estrada da Barrinha, em São Lourenço, via de acesso à cidade de Juquitiba. No horário o acidente, a região estava com o tempo nublado. Oito equipes do Corpo de Bombeiros se dirigiram ao local.

Situação regular
De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave modelo Robinson 44 havia sido comprada recentemente e estava em situação regular para voo. Baptista contou que a empresa dona do helicóptero já havia realizado dois outros eventos em seu sítio. (inf ZH Notícias)


Warning: A non-numeric value encountered in /home/maringamanchete/www/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 352