Vulnerabilidade faz com que Centros de Distribuição sejam alvos de criminosos

0
274

Please enter banners and links.

Proximidade de rodovias e produtos de grande valor agregado são fatores que deixam os Centros de Distribuição se tornarem grandes alvos de quadrilhas e criminosos.
O crime procura sempre produtos de alto valor agregado, tanto manufaturados como matérias primas de alto valor e fácil distribuição. Eletrônicos, metais e roupas de marca são itens que estão sempre na mira dessas quadrilhas”, comenta Niv Yossef Steiman, gerente de projetos e especialista em segurança do GRUPO GR.
A localização, que é privilegiada para as empresas, pela facilidade na entrega e retirada de mercadorias, também é um cenário perfeito para a indústria do crime, já que pequenas estradas ao longo das rodovias se tornam ótimas rotas de fugas.
Diferentemente de assaltos a condomínios ou comércio local, as operações de assalto a centros de distribuição são realizados por quadrilhas com alto poder de fogo e organização. “Normalmente se trata de ações com grande número de participantes, bloqueando estradas, incendiando veículos e monitoramento da ação da policia. Os assaltantes não tem tanta preocupação de não serem detectados no acesso aos locais, já que contam com uma retaguarda bem organizada”, informa o especialista.
E como impedir essas ações? O investimento em segurança deve ser antes da ocorrência, na prevenção. É necessária uma análise de risco minuciosa, seguida de projeto personalizado que inclua tanto estratégias de segurança eletrônica, como efetivo humano. “A segurança eletrônica é um grande aliado em todos os casos, porém, o investimento em mão de obra qualificada é imprescindível neste caso. O equipamento não age sozinho, está sempre atrelado a ações provenientes de procedimentos executados pela mão de obra qualificada e rigorosamente treinada para atuar nesses segmentos”, comenta Steiman.
Infelizmente, em pelo menos 60% dos casos de assaltos a Centros de Distribuição, a informação vem de dentro do local. São informados sobre entrada de novos lotes, esquema de segurança e detalhes do procedimento do local. “Como estes locais tem um numero grande de funcionários de todas as áreas, fica difícil identificar os que levam informação para fora. Porém é sempre prudente evitar que a informação sobre datas de carregamentos entregas e demais informações fiquem divulgadas indiscriminadamente e com antecedência. Isto dificulta a elaboração de um plano detalhado de ataque por parte das quadrilhas”, ratifica o especialista.

O especialista ainda destaca cinco dicas de segurança selecionadas por meio de pesquisas do Grupo GR:
– Procure restringir a informação de entrada e saída de mercadorias a um número mínimo de pessoas;

– Quando seu projeto de segurança for realizado, não deixe de seguir os procedimentos de segurança estipulados;

– Fique de olho em movimentações próximas ao seu local. Como algum carro que passa diversas vezes em uma mesma semana;

– Desconfie se algum colaborar passar a agir de maneira estranha, ou saia do trabalho para falar continuamente ao celular;

– Certifique-se que a equipe que realizada a segurança do local realiza cursos de atualização e treinamentos frequentes;


Warning: A non-numeric value encountered in /home/maringamanchete/www/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 352