Bastidores

Ex-porta-voz do governo, Rêgo Barros critica Bolsonaro por “cercadinho”

“Se fosse jornalista, você ia entrevistar o zagueiro do Íbis ou o Messi?”, questionou.

O general Otávio Rêgo Barros, ex-porta-voz do governo de Jair Bolsonaro, criticou o hábito do presidente de falar com apoiadores no chamado “cercadinho” do Palácio do Planalto. Segundo o antigo líder da comunicação institucional da Presidência, essa prática esvaziou sua função.
Tecnicamente fica muito difícil estabelecer uma estrutura comunicacional com a sociedade colocando na linha de frente a principal autoridade que promove a geração da informação”, disse Rêgo Barros na 1ª entrevista depois de deixar o cargo. Ele falou ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, exibido na madrugada desta 3ª feira (20).

O governo anunciou que extinguiria o cargo de porta-voz em 26 de agosto e oficializou a saída de Rêgo Barros em 7 de outubro. Ele passou 1 ano e meio como interlocutor do presidente. Agora, a função pertence ao Ministério das Comunicações, recriado em junho.
Rêgo Barros contou que não tinha autoridade para repreender Bolsonaro por frases controversas –como o “e daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?” dito pelo presidente em abril ao ser questionado sobre o números de mortos por covid-19 no Brasil. “Eu não tive a possibilidade de poder colaborar com o presidente, muito gostaria”, afirmou o general.

Eu fui para o governo muito entusiasmado com o projeto do Bolsonaro. Na verdade, eu continuo entusiasmado, embora algumas mudanças venham ocorrendo ao longo desse 1 ano e meio”, falou.
Antes de assumir a função de porta-voz da Presidência, o general chefiava o Centro de Comunicação Social do Exército. O militar também foi assessor da extinta SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos). Ao ser perguntado sobre os próximos passos, falou que “gostaria de colaborar com projetos para o país no futuro”. “Já fui consultado por pessoas que integram o Instituto General Villas Bôas” afirmou, sem dar mais detalhes.

Ao avaliar o período que passou no governo, Rêgo Barros disse: “Eu cumpri o meu papel, o que era possível ser cumprido, com a minha equipe unida, coesa e com objetivos profissionais muito bem definidos”.

Mostrar mais

Notícias Relacionadas

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de Anúncios Detectado

Por favor, desative seu bloqueador de anúncios para continuar. Obrigado.